VISUALIZAÇÕES!

CURTIR CELEBRATED NEWS NO FACEBOOK!

CELEBRATED NEWS - ÚLTIMAS NOTÍCIAS

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

SAIBA TUDO DO OSCAR 2017 AQUI

"Moonlight" foi escolhido melhor filme do Oscar após confusão com os apresentadores Faye Dunaway e Warren Beatty, que anunciaram o vencedor errado. Os atores apresentavam a categoria final, neste domingo (26), e disseram que "La La Land" havia levado a estatueta, após erro da organização do evento. 

VEJA passo a passo o que aconteceu.

A equipe subiu ao palco para receber o prêmio. Após 2 minutos e 23 segundos, foi informada do erro e esclareceu que o vencedor era "Moonlight". Beatty e Faye estavam, na verdade, com o envelope da vencedora de Melhor Atriz (Emma Stone, de "La La Land").

Ao abrir o envelope, Beatty ficou olhando para o papel com o nome do vencedor, como se algo estivesse errado. Ele ficou 20 segundos sem saber o que fazer: a plateia pensou que era uma brincadeira. Até deu risada. O ator de 79 anos é conhecido pelo bom humor.

Então, Faye pegou o papel da mão do ator e leu: "La La Land". Foi quando a equipe do filme se abraçou e foi receber a estatueta. Os produtores (Fred Berger, Jordan Horowitz e Marc Platt) discursaram, mas foram avisados da confusão. "Há um erro, 'Moonlight', caras, vocês ganharam melhor filme. Isso não é uma brincadeira, acho que eles leram a coisa errada", disse Horowitz.

"Moonlight" levou ainda a estatueta de roteiro adaptado e de ator coadjuvante, para Mahershala Ali. "La La Land: Cantando Estações" ganhou seis prêmios: atriz, diretor, música original, trilha sonora, fotografia e design de produção. Damien Chazelle se tornou o mais jovem a ganhar como diretor. Casey Affleck levou o Oscar de ator por "Manchester à Beira-mar", filme que ganhou também a estatueta de roteiro original.

FOTOS do tapete vermelho e da cerimônia de premiação
Barry Jenkins, diretor de 'Moonlight', abraça o produtor Jordan Horowitz, de 'La la land', após lerem o nome errado do melhor filme no Oscar (Foto: Lucy Nicholson/Reuters)
Jordon Horowitz, produtor de 'La la land', mostra o cartão com o vencedor correto de melhor filme, 'Moonlight' (Foto: Lucy Nicholson/Reuters)

Moonlight

"Moonlight: Sob a luz do luar" se tornou o Melhor Filme do Oscar neste ano ao narrar o crescimento de um garoto negro na periferia de Miami, nos Estados Unidos, que enfrenta desafios relacionados a sua raça e sexualidade. Mesmo sem estrelas e com uma narrativa simples e direta, o filme independente escrito e dirigido por Barry Jenkins foi colecionando prêmios e elogios.

A vitória mostrou também uma nova mentalidade da Academia de Artes e Ciência Cinematográficas de Hollywood, após a péssima repercussão da campanha #OscarSoWhite (#OscarMuitoBranco), que criticava a ausência de artistas negros no Oscar de 2016. Neste ano, a premiação bateu o recorde com o maior número de negros indicados: 20.

Coadjuvantes: discursos poderosos

Favoritíssimos, Viola Davis ("Um limite entre nós") e Mahershala Ali ("Moonlight: Sob a luz do luar") ganharam como coajuvantes. Fizeram discursos poderosos e emocionados.

"Quando me perguntam que papéis eu quero interpretar, eu digo 'dessas pessoas que não sabem o que é poder sonhar, poder atingir seus sonhos'", disse a atriz. "Viola Davis foi indicada a um Emmy por esse discurso", brincou o apresentador Jimmy Kimmel.
Viola Davis ganha o Oscar de melhor atriz coadjuvante por 'Um Limite entre Nós'. (Foto: Lucas Jackson / Reuters)

Protestos contra Trump (e a favor)

O Oscar também teve protestos. Uma fita azul foi usada por celebridades como a atriz Ruth Negga no tapete vermelho do Oscar. Eles apoiam a União Americana pelas Liberdades Civis, que se opõe a Donald Trump. Também antes da premiação, apoiadores do presidente americano protestaram contra a "elite de Hollywood" perto do Teatro Dolbly.

Trump também foi citado por Kimmel. "Já estamos em duas horas do prêmio e Donald Trump não twittou sobre a gente até agora. Estou ficando preocupado", disse ele, que pegou o celular e botou a imagem do perfil de Trump no Twitter no telão da premiação.

O diretor do melhor filme estrangeiro "O apartamento", o iraniano Asghar Farhadi, mandou uma carta. Nela, ele explicou que não foi ao Oscar em respeito à população do seu país e a outros imigrantes que não podem mais entrar nos Estados Unidos após o banimento a muçulmanos imposto por Trump.

Diretor mais novo, filme mais longo

Premiado como Melhor Diretor, Damien Chazelle se tornou o mais jovem a levar o prêmio, com 32 anos e um mês. "Quero agradecer Ryan e Emma por darem vida a este filme", disse Damien Chazelle. "Quero agradecer a minha família por sempre acreditarem em mim. E agradeço a Olivia. É um filme sobre amor e fico feliz por ter encontrado o amor fazendo este filme".

Outro recordista da noite foi "O.J.: Made in America". Com 7 horas e 47 minutos de duração, ele ganhou como Melhor Documentário. O filme superou "Guerra e Paz", longa russo que ganhou o Oscar de filme estrangeiro em 1969, com 7 horas e 7 minutos de duração.

Outra curiosidade deste ano foi que o "homem mais azarado do Oscar" finalmente ganhou. Após 20 indicações sem vitória, o engenheiro de som Kevin O'Connel foi premiado por seu trabalho em "Até o último homem".
Academia publicou dois ganhadores do Oscar de melhor filme em seu twitter (Foto: Reprodução)

Veja os premiados do Oscar 2017 em vermelho:

Melhor Filme

"Moonlight: Sob a luz do luar""La la land: Cantando estações"
"A chegada"
"Até o último homem"
"Estrelas além do tempo"
“Lion: Uma jornada para casa”
"Um limite entre nós"
"A qualquer custo"
"Manchester à beira-mar"
Emma Stone ganha como melhor atriz por "La la land" (Foto: Lucy Nicholson/Reuters)

Melhor atriz
Emma Stone ("La La Land - Cantando estações")Natalie Portman ("Jackie")
Meryl Streep ("Florence: Quem é essa mulher?")
Ruth Negga (“Loving“)
Isabelle Huppert ("Elle")
Caseu Affleck leva o Oscar de melhor ator por 'Manchester à beira-mar' (Foto: Lucy Nicholson/ Reuters)

Melhor ator

Casey Affleck (“Manchester a beira mar”)Denzel Washington (“Um limite entre nós”)
Ryan Gosling (“La La Land – Cantando estações”)
Andrew Garfield (“Até o Último Homem”)
Viggo Mortensen (“Capitão Fantástico")
Damien Chazelle se tornou o diretor mais jovem da história após o Oscar por 'La la land' (Foto: Lucy Nicholson/Reuters)

Melhor diretor
Damien Chazelle ("La la land: Cantando estações")Dennis Villeneuve ("A chegada")
Mel Gibson ("Até o último homem")
Kenneth Lonergan ("Manchester à beira-mar")
Barry Jenkins ("Moonlight: Sob a luz do luar")
Mahershala Ali vence o Oscar de melhor ator coadjuvante por seu papel em 'Moonlight - Sob a Luz do Luar' (Foto: Lucy Nicholson / Reuters)

Melhor ator coadjuvante

Mahershala Ali ("Moonlight: Sob a luz do luar")Jeff Bridges ("A qualquer custo")
Lucas Hedges ("Manchester à beira-mar")
Dev Patel (“Lion: Uma jornada para casa”)
Michael Shannon ("Animais noturnos")

Melhor atriz coadjuvante

Viola Davis ("Um limite entre nós")Naomi Harris ("Moonlight: Sob a luz do luar")
Nicole Kidman (“Lion: Uma jornada para casa”)
Octavia Spencer ("Estrelas além do tempo")
Michelle Williams ("Manchester à beira-mar")

Melhor roteiro original

Kenneth Lonergan ("Manchester à beira-mar")Damien Chazelle ("La la land: Cantando estações")
Taylor Sheridan ("A qualquer custo")
Yorgos Lanthimos e Efthimis Filippou ("O lagosta")
Mike Mills ("20th century woman")

Melhor roteiro adaptado

Barry Jenkins ("Moonlight: Sob a luz do luar")Luke Davies ("Lion: Uma jornada para casa")
August Wilson ("Um limite entre nós")
Allison Schroeder e Theodore Melfi ("Estrelas além do tempo")
Eric Heisserer ("A chegada")

Melhor fotografia

Linus Sandgren ("La la land: Cantando estações")Bradford Young ("A chegada")
James Laxton ("Moonlight: Sob a luz do luar")
Rodrigo Prieto ("Silêncio")
Greig Fraser ("Lion: Uma jornada para casa")

Melhor animação

"Zootopia""Kubo e as cordas mágicas"
"Moana: Um mar de aventuras"
"Minha vida de abobrinha"
"A tartaruga vermelha"

Melhor filme em língua estrangeira

"O apartamento" – Irã"Terra de minas" – Dinamarca
"Um homem chamado Ove" – Suécia
"Tanna" – Austrália
"Toni Erdmann" – Alemanha

Melhor documentário

"O.J. Made in America""Fogo no mar"
"Eu não sou seu negro"
"Life, animated"
"A 13ª Emenda"

Melhor edição

John Gilbert ("Até o último homem")Joe Walker ("A chegada")
Jake Roberts ("A qualquer custo")
Tom Cross ("La la land: Cantando estações")
Nate Sanders e Joi McMillan ("Moonlight: Sob a luz do luar")

Melhor design de produção

"La la land: Cantando estações""A chegada"
"Animais fantásticos e onde habitam"
"Ave, Cesar!"
"Passageiros"

Melhor cabelo a maquiagem

Alessandro Bertolazzi, Giorgio Gregorini e Christopher Nelson ("Esquadrão Suicida")Eva Bahr e Love Larson ("Um homem chamado Ove")
Joel Harlow e Richard Alonzo ("Star Trek: Sem fronteiras")

Melhor figurino

Colleen Atwood ("Animais fantásticos e onde habitam")Joanna Johnston ("Allied")
Consolata Boyle ("Florence: Quem é essa mulher?")
Madeline Fontaine ("Jackie")
Mary Zophres ("La la land: Cantando estações")

Melhores efeitos visuais

Robert Legato, Adam Valdez, Andrew R. Jones and Dan Lemmon ("Mogli: O menino lobo")Craig Hammack, Jason Snell, Jason Billington e Burt Dalton ("Deepwater horizon")
Stephane Ceretti, Richard Bluff, Vincent Cirelli e Paul Corbould ("Doutor Estranho")
Steve Emerson, Oliver Jones, Brian McLean e Brad Schiff ("Kubo e as cordas mágicas")
John Knoll, Mohen Leo, Hal Hickel e Neil Corbould ("Rogue One: Uma história Star Wars")

Melhor canção original

"City of stars" ("La la land: Cantando estações"); música de Justin Hurwitz e letra de Benj Pasek e Justin Paul"Audition (The fools who dream)" ("La la land: Cantando estações"); música de Justin Hurwitz e letra de Benj Pasek e Justin Paul
"Can't stop the feeling" ("Trolls"); música e letra de Justin Timberlake, Max Martin e Karl Johan Schuster
"The empty chair" ("Jim: The James Foley Story"); música e letra de J. Ralph e Sting
"How far I'll go" ("Moana: Um mar de aventuras"); música e letra Lin-Manuel Miranda

Melhor trilha sonora

Micha Levi ("Jackie")
Justin Hurwitz ("La la land: Cantando estações")Nicholas Britell ("Moonlight: Sob a luz do luar")
Thomas Newman ("Passageiros")
Dustin O'Halloran e Hauschka ("Lion: Uma jornada para casa")

Melhor edição de som

Sylvain Bellemare ("A chegada")Renée Tondelli ("Deepwater horizon")
Robert Mackenzie e Andy Wright ("Até o último homem")
Ai-Ling Lee and Mildred Iatrou Morgan ("La la land: Cantando estações")
Alan Robert Murray e Bub Asman ("Sully: O herói do rio Hudson")

Melhor mixagem de som

Kevin O'Connell, Andy Wright, Robert Mackenzie e Peter Grace ("Até o último homem")Bernard Gariépy Strobl e Claude La Haye ("A chegada")
Andy Nelson, Ai-Ling Lee and Steve A. Morrow ("La la land: Cantando estações")
David Parker, Christopher Scarabosio e Stuart Wilson ("Rogue One: Uma história Star Wars")
Greg P. Russell, Gary Summers, Jeffrey J. Haboush e Mac Ruth ("13 Horas: Os Soldados Secretos de Benghazi")

Melhor curta-metragem

"Sing""Ennemis Intérieurs"
"La femme et le TGV"
"Silent night"
"Timecode"

Melhor curta-metragem de animação

"Piper""Blind Vaysha"
"Borrowed time"
"Pear Cider and Cigarettes"
"Pearl"

Melhor documentário em curta-metragem

"The white helmets""Extremis"
"41 miles"
"Joe's violin"
"Watani: My homeland"

AUTOR: G1

domingo, 26 de fevereiro de 2017

MORRE ATOR AMERICANO BILL PAXTON, DE "TITANIC" E "ALIENS", DIZ SITE

Bill Paxton, durante apresentação de prêmio em Pasadena, no início do ano. (Foto: REUTERS/Mario Anzuoni)

O ator americano Bill Paxton morreu neste domingo (26) aos 61 anos, após complicações em uma cirurgia cardíaca, de acordo com informações do site TMZ.

"É com muita tristeza que comunicamos a notícia de que Bill Paxton faleceu por complicações após uma cirurgia", disse a família em comunicado. A família também disse que "sua paixão pela arte era percebida por qualquer um que o conhecesse e sua calorosa e incansável energia era inegável".

Nascido em 1955 em Fort Worth, no Texas, o ator se mudou para Los Angeles com 18 anos. Ele entrou na indústria de cinema como assistente do diretor Roger Corman. Sua estreia no cinema foi em 1975, no filme "Loucura da Mamãe".

Ao longo de sua carreira, participou de mais de 50 filmes, como Titanic (1997), Aliens - O resgate (1983), Tornado e Apollo 13 - Do desastre ao triunfo (1995). Paxton ganhou um Emmy pela participação na série "Hatfields and McCoys".

Ele participava atualmente da série Training Day, do canal americano CBS.

Bill Paxton foi casado com Louise Newbury por 30 anos, com quem teve dois filhos.

AUTOR: G1

CANTOR VICTOR PEDE PARA SE AFASTAR DE "THE VOICE KIDS" APÓS DENÚNCIA DE AGRESSÃO A MULHER

Mulher de Victor Chaves (à esq), da dupla sertaneja Victor & Léo, disse à polícia que foi agredida pelo marido em BH. (Foto: Isabella Pinheiro/Gshow)

O cantor Victor, da dupla sertaneja Victor & Léo, do programa "The Voice Kids", pediu para se afastar do programa após a denúncia de que teria agredido a mulher grávida.

O atual programa e o próximo já estão gravados com a presença do cantor como jurado e serão mantidos, informou o apresentador André Marques neste domingo (26).

A mulher de Victor, Poliana Chaves, registrou uma ocorrência de agressão contra o marido na última sexta-feira (24). Ela diz ter sido jogada no chão e agredida com chutes. No sábado (25), a mãe do cantor registrou uma queixa contra a nora. Victor não se pronunciou sobre o caso até a última atualização desta reportagem.

“Esta semana aconteceu um fato importante envolvendo um dos técnicos do nosso programa. Uma acusação bastante grave de violência doméstica envolvendo o Victor. A Globo repudia toda e qualquer forma de violência e acredita que essa acusação precisa ser apurada com rigor, garantindo o direito de defesa na busca da verdade. 

O Victor inclusive nos procurou informando que iria se afastar do programa para se dedicar totalmente a esse caso. No entanto, você que acompanha o nosso The Voice Kids sabe que estamos em um momento muito especial da disputa das crianças. 

Como nosso programa de hoje e da semana que vem já estavam gravados, em respeito a essas crianças que se esforçaram tanto para chegar até aqui nas batalhas, decidimos manter o programa como ele foi gravado e o jornalismo da Globo vai acompanhar o desenrolar desse caso para que você saiba tudo o que está acontecendo", disse o apresentador André Marques neste domingo.

A queixa

Um dia depois de registrar a ocorrência, Poliana Bagatini Chaves, de 29 anos, fez exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal (IML), em Belo Horizonte. Segundo a polícia, ela foi à delegacia, prestou depoimento e foi encaminhada ao IML.

A Polícia Civil também informou que a mãe do artista registrou uma ocorrência contra a nora. As informações foram divulgadas por meio de uma nota no início na noite de sábado.

Ela disse ter sido agredida por seu marido, o cantor Victor Chaves Zapalá Pimentel, de 41 anos, da dupla sertaneja Victor & Léo. Ela prestou queixa contra ele em Belo Horizonte, na sexta-feira (24).

Segundo a ocorrência, Poliana, que está grávida, afirmou ter sido jogada ao chão por Victor e ter recebido vários chutes dele. A briga, de acordo com as informações da polícia, começou por motivos fúteis. Os dois moram no bairro Luxemburgo, na região Centro-Sul de Belo Horizonte.

Ela teria sido impedida por um segurança e pela irmã do cantor de sair do local após as agressões.

Ainda segundo a polícia, ela só conseguiu deixar o prédio após uma vizinha ouvir a briga e chamar o elevador para Poliana. Depois de ter saído do prédio, ela disse estar sendo ameaçada pela família do marido.
Poliana prestou queixa na Delegacia Seccional Sul e depois foi encaminhada para a Delegacia de Mulheres da capital. Lá, segundo a Polícia Civil, ela desistiu de prestar depoimento e não fez o exame de corpo de delito. Porém, a investigação continua, de acordo com a corporação.

Procurada na sexta, a assessoria do cantor disse que ele está em viagem de férias e que não conseguiu contatá-lo. Victor ainda não se manifestou sobre o caso.

Victor e Leo participam da segunda temporada do programa 'The Voice Kids'. Os dois formam um time de técnicos na atração. Ivete Sangalo e Carlinhos Brown são os outros dois técnicos.

AUTOR: G1

OSCAR ACONTECE NESTE DOMINGO

'La la land' é favorito ao Oscar, mas 'Estrelas além do tempo' e 'Moonlight' ainda correm por fora (Foto: Divulgação)

O Oscar acontece neste domingo a partir das 23h, em Los Angeles, nos EUA. O G1 vai acompanhar em tempo real a cerimônia que pode consagrar o musical "La La Land - Cantando estações".

Veja tudo o que você precisa saber sobre a maior premiação do cinema.

Quem vai apresentar o Oscar?
Além do apresentador de talk show Jimmy Kimmel, vão subir ao palco para entregar estatuetas:

Leonardo DiCaprio
Brie Larson
Alicia Vikander
Mark Rylance
Halle Berry
Scarlett Johansson
Chris Evans
Samuel L. Jackson
Dakota Johnson
Jamie Dornan
Kate McKinnon
Hailee Steinfeld
Shirley MacLaine
(Foto: Flavio Moraes/G1 )

Quais serão as atrações musicais?

As cinco canções indicadas serão tocadas por:
Auli’i Cravalho e Lin-Manuel Miranda ("How Far I’ll Go", de "Moana")
Sting (“The Empty Chair”, de "Jim: The James Foley Story")
Justin Timberlake (“Can’t Stop the Feeling”, de "Trolls")
John Legend ("City of stars" e "Audition", de "La La Land")

Quem vai levar o Oscar de melhor filme?

"La La Land" é favorito. Além de ter se dado bem nas premiações dos sindicatos dos produtores e dos diretores, dominou o bolão dos repórteres do G1.

"Ben Hur" (1960), "Titanic" (1998) e "O Senhor dos Anéis - O Retorno do Rei" (2004) levaram 11 estatuetas. "La La Land" tem 14 indicações e pode bater esse recorde.

Ainda segundo os sindicatos, "termômetros" do Oscar por terem membros da Academia, "Estrelas além do tempo" e "Moonlight" correm por fora.

Esses três e os outros seis indicados formam uma seleção de filmes bem tristes, que ganharam até um chorômetro do G1.

Quem vai levar o Oscar de melhor atriz?

A mais cotada é Emma Stone, por "La La Land", mesmo tendo suas habilidades como cantora e dançarina questionadas por detratores.

A francesa Isabelle Huppert é uma zebra e venceu o César, o Oscar da França. A última atriz estrangeira a levar foi Marion Cotillard em 2008, por "Piaf".

Natalie Portman era favorita por sua performance como Jackie Kennedy, mas perdeu espaço. Não irá ao Oscar, por estar grávida.

Três das cinco indicadas a melhor atriz - Ruth Negga, Natalie Portman e Meryl Streep - interpretam personagens inspiradas na vida real.
Casey Affleck em 'Manchester à beira-mar' e Denzel Washington em 'Um limite entre nós' (Foto: Divulgação)

Quem vai levar o Oscar de melhor ator?

É a categoria mais disputada. Casey Affleck era favoritíssimo por "Manchester à beira-mar", mas antigas acusações de assédio sexual podem prejudicá-lo.

Denzel Washington deve levar graças aos diálogos emotivos de "Um limite entre nós". Seria o terceiro dele: ganhou um de ator e outro de coadjuvante.

A vitória de Denzel pode fazer com que esta seja a 1ª vez com três negros ganhando nas categorias de atuação: Viola Davis e Mahershala Ali são favoritos entre os coadjuvantes.

Quem será escolhido melhor diretor?

Damien Chazelle pode se tornar o mais jovem a levar esse prêmio. Com 32 anos e um mês, ele tentou ser músico de jazz e fez "La La Land" com uma ajudinha da namorada, da irmã e da ex-mulher.

No bolão do G1 com cineastas brasileiros, Chazelle foi apontado como favorito. Mas a torcida dos diretores é quase toda para Denis Villeneuve, de "A chegada".

AUTOR: G1

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

PÂNICO CONTRATA MAIOR IMITADOR DO PAÍS E TIRA 'SABRINA SATO' DO LEGENDÁRIOS

Autointitulado "o maior imitador do país", Filipe Pontes é o primeiro reforço da temporada do Pânico na Band, que passa pela maior reformulação de elenco de sua história. Ex-Zorra Total, com passagens pelo Domingão do Faustão e Altas Horas, Pontes estava no Legendários, da Record, onde imitava Sabrina Sato, ironicamente ex-musa do Pânico.

Filipe Pontes assinou contrato nesta quarta-feira (21) e já estreia na edição do próximo domingo do Pânico na Band _com imitações, obviamente. Embora não tenha Silvio Santos em seu portfólio, ele pode ocupar um espaço deixado por Wellington Muniz, o Ceará, que saiu do humorístico no final de 2014.
Filipe Nunes como Sabrina Salto no Legendários

Entre suas imitações, além da "Sabrina Salto" do Legendários, estão "Marília Mortadela", Fábio Assunção, Murilo Benício, Selton Mello, Luciano Huck e Mateus Solano (como Félix de Amor à Vida). No extinto Zorra Total, "interpretou" Tony Ramos (como Opash de Caminho das Índias) e Vera Holtz (como Dona Redonda de Saramandaia). Para o Vídeo Show, fez em 2014 uma imitação de Téo Pereira, personagem de Paulo Betti em Império.

Reformulação

O Pânico na Band está passando por uma grande reformulação. Neste ano, pelo menos oito profissionais de seu elenco serão ser dispensados quando seus contratos vencerem. Na lista de dispensas estão Fábio Rabin, Lucas Salles, Amanda Ramalho, Mari Gonzalez (a Baianinha), Fernanda Lacerda (a Mendigata), Aline Riscado, Diego Becker, Marcelo Picon e até Evandro Santo. Alguns deles, como Salles e Aline Riscado, já deixaram o programa.

As mudanças começaram em dezembro, quando o diretor Alan Rapp anunciou que estava deixando o comando da atração. Ele foi substituído por Marcelo Nascimento, ex-Superpop.

AUTOR: MassapeCeara.com

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

"MOONLIGHT" E "A CHEGADA" SÃO VENCEDORES DO PRÊMIO DO SINDICATO DOS ROTEIRISTAS DOS EUA

'Moonlight' e 'A chegada' ganharam os prêmios principais do Sindicato dos Roteiristas dos EUA (Foto: Divulgação)

"Mlight: Sob a luz do luar" e "A chegada" foram os dois grandes vencedores da premiação do Sindicato dos Roteiristas do EUA (WGA, da sigla em inglês) neste domingo (19). O evento é o último dos principais indicadores do Oscar a acontecer antes da cerimônia da Academia.

Na categoria de melhor roteiro original, "Moonlight" superou "A qualquer custo", "La la land - Cantando estações", "Loving" e "Manchester à beira-mar".

Já com o texto adaptado, "A chegada", que leva às telas um conto de Ted Chiang, ganhou de "Deadpool", "Um limite entre nós", "Estrelas além do tempo" e "Animais noturnos".

O prêmio do WGA geralmente é um grande indicador de como serão os vencedores do Oscar. No entanto, este ano as coisas serão diferentes. A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas considerou que "Moonlight" não é um roteiro original, já que se baseia em um projeto nunca lançado do dramaturgo Tarrell Alvin McCraney.

Com isso, o texto do diretor Barry Jenkins entrou na categoria de roteiro adaptado, e disputará diretamente contra "A chegada". O Oscar acontece neste domingo (26).

"Command and control" foi premiado como o melhor roteiro de documentário.

Nas categorias de televisão, "Atlanta" venceu nas categorias de melhor série de comédia e de melhor série nova. "The americans" foi a premiada como melhor série de drama.

Veja a lista das categorias cinematográficas (com o vencedor em negrito):

Melhor roteiro original

"A qualquer custo"
"La la land - Cantando estações"
"Loving"
"Manchester à beira-mar"
"Moonlight"

Melhor roteiro adaptado

"A chegada"
"Deadpool"
"Um limite entre nós"
"Estrelas além do tempo"
"Animais noturnos"

Melhor roteiro de documentário

"Author: The JT LeRoy story"
"Command and control"
"Zero days"

AUTOR: G1

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

PROTAGONISTA DE TODO MUNDO ODEIA O CHRIS REVELA QUE SOFRE DE DOENÇA CRÔNICA

O texto foi publicado na tarde desta terça-feira, 14 (Foto: Getty Images)

O ator Tyler James Williams, de 24 anos, protagonista da série Todo Mundo Odeia o Chris, revelou em postagem no Instagram que sofre de uma doença crônica. Na publicação, ele agradece à namorada pelo companheirismo e cuidados no período em que precisou ir aos hospitais. O texto foi publicado na tarde desta terça-feira, 14.

"Para os que não sabem, fiquei entre idas e vindas do hospital nos últimos dois meses após ter sido diagnosticado com a doença de Crohn", escreveu. "Esse post não é sobre mim, então vá pesquisar se você está curioso (sobre a doença), mas eu estou melhorando e me recuperando".

A publicação foi dedicada à namorada Anastasia Baranova. "Ela deixou o trabalho de lado, me manteve mentalmente motivado não importava o que houvesse. Nunca saiu do meu lado", destacou. "Ela dormiu em sofás no hospital, mas, quando não havia nenhum sofá, ela juntava duas cadeiras. E quando não havia nem mesmo uma cadeira, ela se cobria com o cobertor no chão".

Sem causa conhecida e sem cura, Crohn é uma doença inflamatória crônica do intestino que afeta o revestimento do trato digestivo.

AUTOR: O POVO

domingo, 12 de fevereiro de 2017

EX-JOGADOR DO BOSTON CELTICS, DA NBA, É ENCONTRADO MORTO, EM MINAS GERAIS

Pivô brasileiro Fab Melo morreu na noite deste sábado, em Juiz de Fora (Foto: Getty Images)

Ex-jogador do Boston Celtics, da NBA, o brasileiro Fab Melo foi encontrado morto em casa na noite deste sábado, em Juiz de Fora, no interior de Minas Gerais. A informação é da Polícia Militar, que atendeu à ocorrência por volta das 20h. Segundo o Centro de Operações da PM, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado e constatou o óbito. A reportagem fez contato com o serviço, que não deu detalhes sobre o caso.

Conforme o Boletim de Ocorrência, a mãe de Fabrício contou à polícia que o jogador chegou em casa na sexta-feira e foi dormir. Neste sábado, quando foi chamar o filho, ela verificou que ele estava inconsciente e acionou o Samu, que constatou a morte do atleta.

Fabrício Paulino de Melo tinha 26 anos. Como pivô de 2,13m, ele começou a carreira em projetos da cidade natal e se destacou no basquete. Ele chamou a atenção da principal liga do mundo quando brilhou pela Universidade de Syracuse, em Nova York, onde foi escolhido o melhor jogador defensivo do ano na conferência Big East. Em 2012, o Boston Celtics o selecionou com a 22ª escolha da primeira rodada do draft (seleção de jogadores para as equipes da NBA).

Após ser contratado pela equipe de Boston, Fab Melo foi cedido ao Maine Red Claws, equipe filiada que disputa a Liga de Desenvolvimento. O pivô depois viria a ser trocado para o Memphis Grizzlies. A última oportunidade dele na NBA foi em 2013, quando teve breve passagem pelo Dallas Mavericks. Nos Estados Unidos a última passagem foi novamente na Liga de Desenvolvimento, no Texas Legends. Após as temporadas no basquete norte-americano, ele vestiu as camisas do Caciques de Humacao, de Porto Rico, além de ter jogado por Paulistano, Liga Sorocabana e Brasília, no NBB.
Jared Sullinger, Fab Melo (13), Kris Joseph: turma de draftados do Boston Celtics em 2012 (Foto: Reprodução)

AUTOR: GLOBO ESPORTE

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

'MINHA MÃE É UMA PEÇA 2', SE TORNA O FILME COM A MAIOR BILHETERIA NA HISTÓRIA DO CINEMA BRASILEIRO

Mariana Xavier, Paulo Gustavo e Rodrigo Pandolfo em cena de 'Minha mãe é uma peça 2' (Foto: Divulgação)

"Minha mãe é uma peça 2" se tornou o filme com a maior bilheteria na história do cinema brasileiro. A comédia estrelada por Paulo Gustavo faturou R$ 117,3 milhões após sete semanas de exibição, segundo dados do FilmeB, instituto que analisa o mercado de filmes no Braisl. O longa continua em cartaz. O segundo lugar na lista pertence ao filme "Os dez mandamentos".

Em "Minha mãe é uma peça 2", o ator e roteirista Paulo Gustavo volta a interpretar a exaltada mãe de família dona Hermínia, papel inspirado na própria mãe do humorista.

O longa é sequência da comédia mais bem-sucedida do cinema brasileiro em 2013, quando teve público de 4,5 milhões.

Dona Hermínia na TV

Agora, dona Hermínia se tornou apresentadora de TV. Mas na vida pessoal não mudou muita coisa: continua preocupada com os filhos Marcelina (Mariana Xavier) e Juliano (Rodrigo Pandolfo).

Com direção de César Rodrigues, "Minha mãe é uma peça 2" tem no elenco nomes como Alexandra Richter, Patricya Travassos, Samanta Schutz, Malu Valle, Suely Franco e Bruno Bebianno.^

AUTOR: G1

terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

CLAUDIA LEITTE ENTRA NA JUSTIÇA PARA EVITAR DEVOLUÇÃO DE R$ 1,2 MILHÃO DE TURNÊ AO MinC

Claudia Leitte (Foto: André Schiliró/Divulgação)

A Ciel, produtora de Claudia Leitte, entrou com uma ação na Justiça para rever o valor cobrado pelo Ministério da Cultura (MinC) de R$ 1,2 milhão como devolução de uma turnê apoiada pela Lei Rouanet. O advogado Alessandro Dessimoni afirmou ao G1 que considera o valor cobrado "desproporcional" em relação às irregularidades apontadas pelo MinC.

A empresa já havia tentado um recurso junto ao ministério para evitar a pena de devolver o valor total do projeto, mas ele foi negado. O prazo legal para o pagamento ao MinC já terminou, e o processo está sendo preparado para ser levado ao TCU, que pode incluir a empresa da cantora no cadastro de devedores da União.

As contas do projeto foram reprovadas pois a turnê não teve ações de "democratização de acesso", que são exigidas pela lei e necessárias para ter um projeto apoiado, segundo o MinC. A produtora vendeu entradas mais caras do que foi acordado e não provou a distribuição de 8,75% de ingressos combinados a alunos de escolas públicas e entidades de assistência social, diz o ministério.

"O pagamento não foi feito pois o processo no MinC encerra uma fase administrativa, o que significa que as decisões estão sujeitas ao controle do Poder Judiciário – e, portanto, podem ser objeto de nova análise e revisão. O primeiro recurso da Ciel ao MinC, em outubro de 2016, foi indeferido. Sendo assim, a Ciel promoveu no mês de janeiro de 2017 uma ação judicial para a revisão do caso por ter a convicção de que os shows foram realizados em conformidade com a lei e que a penalidade, em nosso entender, é desproporcional aos fatos ocorridos", diz Alessandro.

Os dois principais argumentos do advogado de Claudia Leitte na ação são os seguintes:

- "Os shows foram realizados e 100% do dinheiro captado foi aplicado nos eventos: todos os gastos com a viabilização deles, que inclui deslocamentos de equipe, produção técnica, pagamentos de músicos e hospedagens para cerca de 200 pessoas envolvidas, indireta ou diretamente"

- "O MinC alega que não houve a comprovação de que os ingressos tenham sido distribuídos gratuitamente e que os valores estavam acima do valor esperado. Estes são os únicos dois itens em discordância na prestação de contas que teve as demais dezenas de requisitos aprovados. Por essa razão, pedimos a revisão da pena."

O advogado também afirma que "ao final do processo judicial, a produtora Ciel, caso seja responsabilizada, cumprirá, evidentemente, a decisão da Justiça."

A cantora conseguiu captar R$ 1,2 milhão de um total autorizado de R$ 5,8 milhões. Agora, com correção monetária, a devolução cobrada é de R$ 1.274.129,88.

O projeto previa a venda de ingressos de R$ 35 a R$ 70, segundo o plano de distribuição enviado pela Ciel. O MinC diz que os ingressos mais caros foram vendidos em Picos (PI) e em Ponta-Porã (MS), mas não informa qual foi o valor cobrado.

AUTOR: G1

domingo, 5 de fevereiro de 2017

TRUMP COMPRA BRIGA COM SCHARZENEGGER, ENTENDA

Arnold Schwarzenegger e Donald Trump: AFP / Getty

Parece título de um novo filme da Marvel, mas é a pura realidade: Donald Trump x O Exterminador do Futuro.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, abriu uma nova polêmica na quinta-feira ao criticar publicamente o ator Arnold Schwarzenegger pela queda da audiência de The Apprentice (O Aprendiz, em inglês), o reality show que ajudou o atual presidente a ficar conhecido no país.

Schwarzenegger, que foi governador da Califórnia e é um conhecido ator de Hollywood, em especial graças a campeões de bilheteria como o Exterminador do Futuro, foi chamado para substituir Trump no programa de TV, mas os números da audiência não têm sido bons.

"Contrataram um grande astro do cinema, Arnold Schwarzenegger, para ocupar o meu lugar e já sabemos no que deu", disse Trump ao discursar durante o National Prayer Breakfast (Café da Manhã de Orações Nacional, em inglês), evento anual que acontece em Washington.

Na plateia, estava o produtor do reality show, Mark Burnett.

O café da manhã é realizado na capital federal dos EUA desde 1953, na primeira quinta-feira de fevereiro e reúne 3.500 convidados, entre eles estrangeiros de mais de 100 países.

O anfitrião do evento é o Congresso dos EUA e a organização fica a cargo da Fellowship Foundation, organização conservadora cristã mais conhecida como "The Family" ("A Família", em inglês).

"A audiência caiu. Mark (Burnett) nunca mais voltará a apostar contra Trump. Eu queria rezar por Arnold e, se possível, por essa audiência", acrescentou Trump, que classificou ainda a contratação de Schwarzenegger como um "desastre completo".

O ator, no entanto, não ficou calado.

Minutos depois respondeu com um vídeo de 15 segundos publicado na sua conta do Twitter.

"Oi, Donald, tenho uma grande ideia: por que não trocamos de cargo? Você se encarrega da TV, porque é um especialista em audiência e eu faço o seu trabalho. E assim, a gente poderá enfim voltar a dormir tranquilamente", disse Schwarzenegger.
Segundo confronto

Este não foi o primeiro embate entre Trump e Schwarzenegger.
Em janeiro, depois da estreia do ator na nova temporada do reality show, Trump já tinha dado uma alfinetada contra seu sucessor.
 Donald Trump  Getty Images

"Bem, já chegaram os índices de audiência e Arnold Schwarzenegger foi 'afundado' (ou destruído) em comparação com a máquina de audiência DJT" (as iniciais de Donald John Trump), disse ele.

Em resposta, Schwarzenegger divulgou um vídeo em que lê o discurso de posse do presidente Abraham Lincoln, em 1861, e agrega que este "me inspirou todos os dias quando fui governador e espero que inspire você".

Em uma mensagem no Twitter, Schwarzenegger ainda desejou boa sorte a Trump dizendo esperar que ele "trabalhe para TODOS os americanos de uma maneira tão agressiva quanto trabalhou pela sua audiência".
Audiência

Trump tem razão ao observar que os índices de audiência alcançados por Schwarzenegger em The Apprentice foram menores do que o esperado.

Trump comandou 14 temporadas do show até entregá-lo para Schwarzenegger. O programa de estreia foi visto por 4,93 milhões de pessoas, em janeiro.

Esta audiência é 43% menor que a da estreia do reality em 2015, segundo a revista Variety.

Será preciso esperar até o fim da nova temporada do programa para ver como vai ficar a audiência de Schwarzenegger. Neste momento, será interessante verificar como estará a popularidade de Donald Trump.

AUTOR: BBC
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

ME SIGA NO TWITTER!