VISUALIZAÇÕES!

CURTIR CELEBRATED NEWS NO FACEBOOK!

CELEBRATED NEWS - ÚLTIMAS NOTÍCIAS

sábado, 29 de julho de 2017

SAIBA 60 FATOS CURIOSOS SOBRE A REDE GLOBO

A ideia de criar uma emissora de TV das Organizações Globo nasceu no início da década de 1950, quando a Rádio Globo fez um requerimento de canal de TV ao governo. Sobre a Rádio Globo: ela foi inaugurada em 1944.

O requerimento feito pela Rádio Globo só foi aprovado em 1957 pelo então presidente Juscelino Kubitschek, que concedeu o Canal 4 do Rio de Janeiro. No entanto, aquela ideia original só começou a ganhar corpo no começo dos anos 1960, quando o grupo Globo assinou um contrato com a norte-americana Time-Life.

O acordo com a Time-Life ajudou a injetar um capital na emissora (algo em torno de 6 milhões de dólares na época). Em troca, o grupo norte-americano teria uma participação de 30% nos lucros da emissora.

A formação da primeira equipe da Globo ocorreu em 1963. Cerca de dois anos depois, em 26 de abril de 1 965 era inaugurada a Rede Globo de Televisão. O primeiro programa a ir ao ar foi um infantil chamado Uni Duni Tê.

Paixão de outono, a primeira novela da recém-nascida emissora, foi ao ar em 14 de setembro de 1965. De autoria de Glória Magadan, ela teve apenas 50 capítulos. Magadan era diretora do núcleo de dramaturgia da TV Globo na época.

Você sabe qual o programa mais antigo que ainda permanece no ar? O Fantástico? O Jornal Nacional? Não, o programa mais antigo não é exatamente um programa, mas a Santa Missa em Seu Lar, exibida pela primeira vez em maio de 1965.

Já que falamos de Jornal Nacional, ele entrou no ar em primeiro de setembro de 1969 e foi o primeiro telejornal a ser transmitido em rede nacional. Os apresentadores eram Hilton Gomes e Cid Moreira (um dos mais antigos colaboradores da emissora).

O Jornal Hoje estreou quase dois anos depois, em 26 de abril de 1971. Com a apresentação de Léo Batista e Luís Jatobá, o JH era transmitido somente na cidade do Rio de Janeiro. Ele só passou a ser transmitido em rede nacional em .

Já o Jornal da Globo estreou em abril de 1979, apresentado por Sérgio Chapelin. Uma curiosidade: em 1981, ele saiu do ar para dar lugar ao Jornal Nacional 2a edição, experiência que acabou não vingando. O JG voltou a ser transmitido em agosto de 1982.

O Bom Dia Brasil começou a ser veiculado em janeiro de 1983. Foi o primeiro telejornal da emissora a ser transmitido de Brasília. Entre os apresentadores que mais tempo ficaram no comando do Bom Dia Brasil estão Carlos Monforte e Renato Machado.

Exibida sempre nas noites de domingo, a revista eletrônica Fantástico foi pela primeira vez ao ar em 5 de agosto de 1973. No início, era chamado de Fantástico, o Show da Vida.

Outro programa antigo é o Globo Repórter. Para quem não sabe, o jornalístico estreou em abril de 1973, sendo quatro meses mais velho do que o Fantástico. Uma curiosidade: a música de abertura é a mesma desde a estreia e se chama Freedom of Expression. Apresentado atualmente por Sérgio Chapelin, teve como um dos primeiros apresentadores… Sérgio Chapelin.

O primeiro grande evento esportivo transmitido pela emissora foi a Copa do Mundo do México de 1970, quando o Brasil foi tricampeão.

Já o Globo Esporte demorou um pouco mais para ir a o ar. O programa só foi criado em 1978.
O primeiro Big Brother Brasil entrou no ar em janeiro de 2002. O programa é uma versão brasileira do Big Brother, criação da empresa holandesa Endemol. É apresentado pelo jornalista Pedro Bial desde a primeira edição.

Você sabia que a atriz e cantora Marisa Orth dividiu a apresentação do primeiro Big Brasil com Pedro Bial?

O primeiro reality show apresentado pela emissora foi No Limite. O primeiro No Limite (uma espécie de gincana misturada com teste de resistência) foi ao ar em julho de 2000.

Entre os inúmeros slogans da emissora estão: Vem que Tem, na Glogo Tem (1986), A Globo 90 é Nota 100 (1990), Globo e Você, Tudo a Ver (1990), Um Caso de Amor com o Brasil (1998), A Gente se Vê Por Aqui (2000), Globo 2000, no Coração do Brasil (2000)…

Os atores que mais tempo trabalham na teledramaturgia da Globo são: Reginaldo Faria, Osmar Prado, Rosamaria Murtinho, Marília Pêra, Nathalia Thimberg, Milton Gonçalves, Yoná Magalhães, Emiliano Queiroz, Tarcísio Meira, Glória Menezes, Paulo Goulart, Arlete Salles e Regina Duarte, entre outros. Detalhe: todos estrearam na emissora ainda nos anos 1960.
As minisséries começaram a ser produzidas pela emissora no início dos anos 1980. As três primeiras minisséries estrearam em 1982. São elas: Lampião e Maria Bonita, Avenida Paulista e Quem Ama não Mata.

Assim como as telenovelas globais, os seriados nasceram junto com a emissora em 1965. Os primeiros a entrarem no ar foram Rua da Matriz, TNT e 22-2000, Cidade Aberta.

A emissora transmitiu alguns dos seriados norte-americanos de maior sucesso (verdadeiros clássicos, na verdade) na década de 1970 e 1980, entre eles Kojak, As Panteras, Magnum, Casal 20, SWAT, Planeta dos Macacos, O Homem do Fundo do Mar, O Incrível Hulk, Happy Days, O Homem Invisível, Viagem ao Fundo do Mar, Perdidos no Espaço, Terra de Gigantes, Alf – O ETeimoso e Dallas, série que foi sucesso mundial no início dos anos 80.

Janete Clair escrevia novelas para o rádio antes de trabalhar como autora de folhetins para a TV. Sua estreia no rádio foi com Perdão, Meu Filho, escrita em 1956. A estreia na TV ocorreu na década de 60 com O Acusador e Paixão Proibida.

Para muitos especialistas em telenovelas, Janete Clair foi uma das maiores autoras do gênero. E não sem motivo! Tramas como Irmãos Coragem e Selva de Pedra tiveram finais com quase 100% de audiência – algo impossível nos dias atuais.

Você sabia que Janete Clair foi casada com o também novelista Dias Gomes, autor de O Bem-Amado e Saramandaia?

A primeira novela em cores foi O Bem Amado, exibida pela Globo em 1973.

Outro detalhe sobre O Bem Amado: a produção com os inesquecíveis personagens Zeca Diabo e Odorico Paraguaçu foi a primeira novela brasileira a ser exibida no exterior.

Irmãos Coragem foi, ao lado de Redenção, Os Imigrantes e O Machão, uma das novelas mais longas da TV brasileira. A trama levou um ano para sair de cartaz.
Exibida em 1976 pela Rede Globo, A Escrava Isaura foi a novela com o maior número de reproduções: cinco. Foi também a novela brasileira de maior sucesso no exterior na época. Protagonizada pela atriz Lucélia Santos, A Escrava Isaura foi vendida para 80 países.

O sucesso de A Escrava Isaura na China foi tão grande que a atriz Lucélia Santos virou ídolo popular naquele país. Lucélia viajou diversas vezes para lá, chegando a trabalhar em produções conjuntas entre Brasil e China.

Por falar em Escrava Isaura, ela foi uma das novelas baseadas em clássicos da literatura brasileira exibidas pela Globo na década de 1970. Foi com essas novelas que a emissora inaugurou o horário das seis. Entre elas estão: Helena, Senhora, A Moreninha, O Noviço, O Feijão e o Sonho, Olhai os Lírios do Campo, Memórias de Amor (inspirada em O Ateneu, de Raul Pompeia) e a própria Escrava Isaura.

Protagonizada por Regina Duarte, José Wilker e Lima Duarte e exibida em 1985, a novela Roque Santeiro é até hoje um dos maiores sucessos da teledramaturgia brasileira. O que pouca gente lembra é que Roque Santeiro foi proibida pela censura em 1975 e sem nenhum folhetim pronto para substituí-la, a Globo foi obrigada a exibir uma reprise de Selva de Pedra.

Exibida em 1988/89 e com autoria de Gilberto Braga, Aguinaldo Silva e Leonor Bassères, Vale Tudo fez o Brasil inteiro perguntar quem matou a megera Odete Roitman. A curiosidade e expectativas eram tamanhas que a Globo gravou cinco finais diferentes, só levando um ao ar.

Outros personagens misteriosamente assassinatos em novelas foram Lineu Vasconcelos (Celebridade), Barão de Sobral (Força de Um Desejo), Miguel Fragonard (Água Viva), Salomão Hayala (O Astro), Silvia (O Rebu), Max (Cavalo de Aço), Nívea. As novelas A Próxima Vítima e Passione tiveram vários personagens mortos por serial killers.

O que aconteceu em Torre de Babel, de autoria de Silvio de Abreu, foi uma carnificina. A explosão de um shopping center provocou a morte de quase metade do elenco. Outra trama cujos personagens foram dizimados foi Anastácia, a Mulher Sem Destino. Para dar uma reviravolta na história e aumentar a audiência, a autora Janete Clair apelou para um terremoto.

Devido ao enorme sucesso, diversas novelas tiveram uma segunda versão exibida décadas depois da trama original. Alguns exemplos: Irmãos Coragem, Selva de Pedra, Escrava Isaura, Mulheres de Areia, O Profeta, Cabocla, Anjo Mau, A Viagem, Sinhá Moça, Pecado Capital, Ciranda de Pedra, Lua Cheia de Amor (segunda versão de Dona Xepa), Paraíso e Ti Ti Ti. Novelas como O Astro, Gabriela e Saramandaia tiveram versões reduzidas no horário das 11h.

A Globo foi a emissora que mais inseriu merchandising social em suas tramas. Elas costumam abordar temas como dependência química, deficiência física, respeito às pessoas com Síndrome de Down, transplante de órgãos, entre outros. Uma das novelas que abordou o problema da depedência química, por exemplo, foi Passione, de Silvio de Abreu, exibida em 2010.

Os personagens do seriado Shazam, Xerife & Cia, sucesso infantil dos anos 1 970, surgiram na novela O Primeiro Amor, exibida pela TV Globo em 1972. Interpretados por Paulo José e Flávio Migliaccio, Shazam e Xerife viajavam pelo Brasil afora à procura de uma peça que os possibilitaria construir uma bicicleta voadora.

Criado como personagem da novela Elas Por Elas, de 1982, o personagem Mário Fofoca foi outro que acabou ganhando autonomia. O sucesso junto aos telespectadores de Mário Fofoca foi tamanho que o personagem interpretado por Luís Gustavo protagonizou As Aventuras de Mário Fofoca.

Idealizada por Dias Gomes, a série O Bem-Amado foi exibida no início dos anos 80 como uma continuação da novela de mesmo nome dos 70. Esta, por sua vez, foi uma adaptação da peça O Bem-Amado, de autoria do próprio Dias Gomes. Tanto a peça, quanto a novela e o seriado foram muito bem recebidos pelos público. Os personagens Odorico Paraguaçu e Zeca Diabo marcaram a história da TV e a dos atores Paulo Gracindo e Lima Duarte.

Dias Gomes ficou conhecido pelo realismo fantástico e pelos personagens bizarros das suas tramas. A novela Saramandaia (de 1976), por exemplo tinha um personagem que virava lobisomen, outro que espelia formigas pelo nariz e outro que provocava combustão nos objetos sempre que ficava excitado. Isso sem contar Dona Redonda, personagem que explodiu de tanto comer. Diante deles, o mocinho João Gibão até que parecia normal (ele possuía asas).

A primeira trilha de novela foi a de Véu de Noiva (1970), lançada pela gravadora Philips em parceria com a Rede Globo. A primeira com músicas estrangeiras foi a de O Cafona, lançada em 1971.

A gravadora Som Livre foi criada pelas Organizações Globo em 1971, justamente para lançar as trilhas das novelas da TV Globo. O Cafona foi a primeira telenovela a ter a trilha sonora produzida pela Som Livre.

A Som Livre lança, no mínimo, duas trilhas por novelas. Em alguns casos, são lançados três trilhas, como ocorreu como Belíssima, Roque Santeiro e América.

A novella Dancin’ Days, de Gilberto Braga, foi inspirada na onda disco que tomou o mundo na segunda metade da década de 1970. A trilha sonora internacional era recheada de músicas da Disco Music – inclusive do grupo Bee Gees, grande sucesso na época.

Você sabia que o ator Sérgio Cardoso morreu de repente durante as gravações de O Primeiro Amor, em 1972? Sérgio teve que ser substituído às pressas por Leonardo Villar. Outro caso que ficou na memória foi a morte inesperada de Jardel Filho no meio da novela Sol de Verão, de 1982. Nesse caso, não houve substituições e a trama acabou sendo encurtada.
A morte mais chocante da história da telenovela foi a da atriz Daniela Perez, filha da autora Glória Perez. Daniela foi encontrada morta em um matagal no Rio de Janeiro. O autor do crime foi Guilherme de Pádua, ator que trabalhava com Daniela na novela De Corpo e Alma. Foi um escândalo de repercussão internacional. Glória Perez não teve condições de continuar De Corpo e Alma e ela caiu nas mãos de Gilberto Braga e Leonor Básseres, que tiveram que explicar o sumiço repentino dos personagens.

A primeira transmissão a cores da TV brasileira foi a Festa da Uva de Caxias do Sul (RS), exibida pela afiliada local da T V Globo em 1972.

Silvio Santos trabalhou na Globo de 1965 a 1976, apresentando seu programa dominical. Uma curiosidade interessante: atualmente exibido pelo SBT, o Programa Silvio Santos é um dos mais antigos que ainda permanecem no ar.

Durante o tempo em que comandou o Jornal Nacional (de 1969 a 1986), o apresentador Cid Moreira disse “Boa Noite” cerca de 8.914 vezes.
O Domingão do Faustão estreou na Globo em 1989. Antes, Faustão apresentava um programa de grande sucesso na TV Bandeirantes chamado Perdidos na Noite. Na época da Band, Faustão comandava outro programa: Safenados e Safadinhos.

Muito antes de Ana Maria Braga comandar um programa feminino na emissora, existiu o TV Mulher. Pilotado por Marília Gabriela e Ney Gonçalves Dias, o TV Mulher era exibido no período da manhã de segunda a sexta. Nele, a atual senadora Marta Suplicy tinha um quadro sobre sexo. O falecido estilista Clodovil apresentava o quadro sobre moda. Havia também quadros de culinária, humor (apresentado pelo saudoso e genial Henfil) e entrevistas.

A mini-série (ou soap opera) Malhação está no ar de segunda-feira a sexta-feira, desde 24 de abril de 1995.

Apesar de terem sido exibidos durante a madrugada, os jogos da Copa do Mundo FIFA de 2002, bateram todos os recordes de audiência da emissora. A Globo nunca teve uma audiência tão grande durante a madrugada.

O deputado mineiro Hélio Costa foi, durante anos, jornalista contratado da Globo. Costa foi correspondente nos Estados Unidos e apresentava as reportagens mais polêmicas e de maior audiência do Fantástico.

Você sabe qual o custo médio de uma novela na Globo? Anote aí: 40 milhões de dólares em 2010.

Xuxa apresentou programas infantis na emissora desde 1986. Antes de ir para a Globo, ela comandava o Clube da Criança na extinta TV Manchete. Detalhe: Xuxa foi substituída por Angélica no antigo Clube da Criança.

Com Regina Duarte no papel da protagonista, o seriado Malu Mulher causou escândalo na época em que foi exibida (1979). Em pleno regime militar, ele abordava temas como aborto, virgindade, violência contra a mulher e divórcio. Malu Mulher chegou a ser proibida em alguns países da América Latina.

A novela Tropicaliente fez tanto sucesso, que aumentou o fluxo de turistas para o Ceará. Ambientada no litoral do estado, Tropicaliente fez também muito sucesso na fria e única Rússia.

Caminho das Índias e Avenida Brasil foram as novelas mais exportadas para o exterior. Acredite se quiser, mas Avenida Brasil foi licenciada em 130 países. Ela fez tamanho sucesso que alavancou a audiência de algumas emissoras onde foi exibida.

AUTOR: MAIS CURIOSIDADES

Nenhum comentário:

Postar um comentário

IMPORTANTE

Todos os comentários postados neste Blog passam por moderação. Por este critério, os comentários podem ser liberados, bloqueados ou excluídos. O CELEBRATED NEWS descartará automaticamente os textos recebidos que contenham ataques pessoais, difamação, calúnia, ameaça, discriminação e demais crimes previstos em lei. GUGU

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

ME SIGA NO TWITTER!